Os percevejos-das-camas são hematófagos estritos, alimentando-se exclusivamente do sangue fresco de animais de sangue quente, sendo o homem o seu hospedeiro de eleição.

Os percevejos de cama são insetos sem asas da ordem Hemiptera e da família Cimicidae. São parasitas externos de vários animais, sendo a espécie mais comum o Cimex lectularius. O percevejo da cama comum encontra-se em climas temperados e alimenta-se de sangue (hematófago).

Desde 1990 que se tem verificado um aumento de infestações de percevejos da cama no Reino Unido, Alemanha, Espanha, Austrália, Canadá e Estados Unidos da América.

Os percevejos são conhecidos por serem fugidios, efémeros e noturnos (tipicamente ativos de madrugada das 01:00 às 05:00), o que dificulta a sua deteção. Os adultos de C. lectularius apresentam coloração entre o avermelhado e o castanho, corpo achatado, de forma oval e sem asas, com 4-5 mm de comprimento, recoberto de pequenos pêlos.

Apesar da sua pequena dimensão, são facilmente observáveis a olho nu já que se movem lentamente não escapando à vista de um observador atento.

As ninfas são translúcidas, de coloração clara, escurecendo à medida que realizam as sucessivas mudas até alcançar a coloração adulta.

Alimentação

Os percevejos-das-camas são hematófagos estritos, alimentando-se exclusivamente do sangue fresco de animais de sangue quente, sendo o homem o seu hospedeiro de eleição. Podem ingerir até 7 vezes o seu peso em sangue. Estão normalmente ativos depois do anoitecer, com um pico na sua alimentação cerca de uma hora antes do amanhecer.

Alcançam as suas vítimas deslocando-se atraídos pelo calor e pelo dióxido de carbono exalado pela respiração. Nalguns casos, sobem pelas paredes, tetos e outras estruturas, deixando-se depois cair sobre o hospedeiro quando detetam o seu calor corporal.

Quando entra em contacto com o hospedeiro, o percevejo perfura a pele da sua vítima com uma espécie de estilete formado por dois tubos ocos situados na extremidade do seu aparelho bucal. Com um deles extrai o sangue e com o outro injeta saliva, a qual contém anticoagulantes e anestésicos.

Ainda que os percevejos possam sobreviver largos períodos sem se alimentarem, normalmente intentam obter uma refeição com uma periodicidade de cinco a dez dias. Os percevejos que entram em dormência por escassez de alimento, podem viver mais de um ano, enquanto que os indivíduos bem alimentados normalmente vivem de seis a nove meses.

Reprodução

Os percevejos têm múltiplas gerações com uma elevada taxa de crescimento durante os meses de verão. À temperatura ambiente, o seu ciclo de vida fica completo em cerca de 5 semanas.

No espaço de 2 meses são depositados 200 - 500 ovos, em grupos de 10 a 50. A fémea não põe ovos a temperaturas inferiores a 10ºC. Ovos e larvas são extremamente sensíveis a temperaturas baixas.

Infestações

As infestações por poucos indivíduos podem ser difíceis de detetar, e é possível que as vítimas passem longos períodos ignorando a presença do parasita.

Normalmente são transportados na roupa, móveis ou em malas de viagem, sendo por isso a sua origem mais comum de infestação, os hotéis e residenciais. Os seus abrigos são colchões, fendas nas estruturas das camas, atrás de móveis que se encontrem perto das camas (sobretudo à cabeceira) ou nos rodapés.

Durante o dia retomam aos seus esconderijos ou refúgios (fendas e rachas). A sua capacidade de sobreviverem sem comer longos períodos potencia a sua capacidade de migração. Nos climas temperados, o período de maior infestação, ocorre no outono porque a espécie hiberna sob a forma adulta. Nos climas quentes, o período de infestação ocorre na primavera.

Perigos

As suas picadas são extremamente irritantes, porque apesar de indolores, causam inchaço e comichão.O tratamento das picadas acalma a irritação, mas não previne novas picadas, as quais em demasia podem levar ao aparecimento de eczemas.

As picadas costumam ocorrer agrupadas, geralmente em linhas, podendo encontrar-se em diversas partes do corpo, geralmente concentradas em torno das áreas com maior vascularização superficial onde a temperatura da superfície da pele é mais elevada e maior a concentração de dióxido de carbono.